As mulheres e a autoestima

Por Bruno Lotufo

Fotos: Arquivo Pessoal Bruno Lotufo

A qualidade dos cabelos está diretamente relacionada a uma boa autoestima. Este é um tema de extrema grandeza para mim, porque é uma honra ser procurado para poder ajudar tantas mulheres. Venho sempre relatando, aqui, na minha coluna da Vision Business, que meus trabalhos são realizados buscando, o máximo possível, a preservação e a integridade dos cabelos. Em alguns casos, conseguimos até mesmo melhorar a qualidade. Mas, para isso, é preciso seguir as minhas orientações, incluindo as dicas e os produtos que devem ser utilizados para melhorar os fios.


É preciso ser realista

Uma mulher que faz uma química em um cabelo que já está sensibilizado, por exemplo, acaba tendo diminuídas as chances de chegar em uma cor bonita. Por isso, especialmente nestes casos, é preciso ser realista para não causar uma frustração na cliente e deixá-la deprimida. Quando uma mulher nos procura trazendo uma referência, a regra é passar toda a situação real para ela: se é possível fazer imediatamente ou se ela vai precisar esperar para poder chegar ao seu objetivo. Não podemos dizer de cara que vamos fazer o que ela quiser e que vai ficar lindo. Isso é muito perigoso. Até porque nenhum cabelo fica igual a uma referência. Ele pode ficar bem próximo, às vezes até mais bonito, mas nunca igualzinho. Uma foto, por exemplo, é uma imagem paralisada, e no dia a dia não é aquilo: não fica daquela cor, daquele jeito, naquela luz. Tudo é diferente. Então, é muito importante relatar de forma verídica o passo a passo do que e como vai ser feito.


Dá para fazer aos poucos

Com técnica e qualidade em produtos, nos esforçamos sempre para realizar o melhor trabalho possível dentro da realidade de cada cliente. É preciso alinhar as expectativas da mulher com a realidade do cabelo dela. Quando uma cliente me procura, eu sei que a expectativa dela é muito grande, por isso busco sempre falar a verdade, mostrando o quanto é possível melhorar o cabelo e até onde eu posso chegar.

O objetivo é, sempre, que a mulher fique satisfeita, e entendendo o processo pelo qual o cabelo dela está passando.


Exemplo

Suponhamos que uma cliente tenha um cabelo alisado, mais ou menos pelo ombro, e ela deseja ficar mega loira.


Neste caso, o primeiro passo é perguntar se ela topa deixar de alisar. Se a cliente diz que sim, eu explico que – no comprimento do cabelo dela, até o ombro – ela vai precisar esperar no mínimo uns dois anos até ter o crescimento necessário para limpar toda a progressiva. Até lá, o que dá para fazer é descolorir até onde o cabelo aguenta, sempre mantendo a saúde e a integridade desse fio. A ideia é ir clareando aos poucos até chegar ao resultado que ela quer. Se não causarmos uma expectativa irreal na cliente, ela não vai se frustrar, ficando com a autoestima muito mais elevada.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo