Coca-Cola revela desenvolvimento de garrafas de papel sustentáveis


Foto: Coca-Cola

Não é nenhum segredo que a poluição do plástico representa um problema difícil para o planeta. À medida que os consumidores exigem opções mais sustentáveis, as marcas são forçadas a tomar decisões mais responsáveis e fazer grandes mudanças em seus produtos. A Coca-Cola teve que reconsiderar suas práticas comerciais quando foi eleita a marca mais poluente do mundo, por vários anos consecutivos. Cumprindo as promessas anteriores, a empresa lançou agora um protótipo de suas garrafas de papel sustentáveis que podem ajudá-los a cair na lista e se tornar menos prejudiciais ao meio ambiente.


As garrafas foram desenvolvidas em parceria com a dinamarquesa Pabocom, especializada em embalagens recicláveis de produtos. O conceito vem com muitos desafios para tornar as garrafas de papel tão eficazes quanto o plástico, mas agora está pronto para ser testado.



A primeira dificuldade pode ser especialmente óbvia para aqueles que usaram canudos de papel. Como você evita que o refrigerante encharque a garrafa e a destrua? Para resolver isso, o plástico ainda é usado para criar um revestimento fino entre o papel e o líquido. “Será uma barreira de base biológica, que é realmente algo mínimo, que mantém os alimentos e o produto seguros ao mesmo tempo”, explica Michael Michelsen, gerente de desenvolvimento de negócios da Paboco.


Os produtos de cola também representam o desafio de lidar com a pressão adicional necessária ao engarrafar refrigerantes. Tem de ser hermético para evitar que o gás saia ou qualquer coisa que caia no refrigerante. Além disso, o papel deve ser tão adaptável a novas campanhas de marketing e design quanto suas contrapartes de metal ou plástico. A tinta pode ser impressa diretamente no frasco? O papel pode ser facilmente alterado para se ajustar a novos designs de garrafa? As soluções para essas questões não foram fáceis e a empresa realizou testes durante sete anos. Agora, as primeiras garrafas de papel da Coca-Cola serão testadas na Hungria, neste verão, para vender a bebida de frutas Adez. O teste incluirá 2 mil garrafas vendidas em uma rede de varejo local.

0 comentário