Funerária apresenta alternativa ecológica


Imagem: Recompose

Como podemos celebrar aqueles que nos deixam? Esta é uma grande questão que nos força a considerar nossa própria mortalidade e como gostaríamos de deixar este mundo. Uma das formas mais populares é o enterro em caixão, mas como a mudança climática ameaça nossa própria existência, muitos estão considerando alternativas.


A empreendedora Katrina Spade está ajudando a revolucionar o que acontece conosco depois que morremos. Sua empresa, a Recompose, oferece uma alternativa ecológica às práticas tradicionais com “redução orgânica natural”. O processo converte suavemente o corpo humano em solo para que o ciclo da vida possa ser realizado por meio do mundo natural.



A Recompose começou sua operação de compostagem humana em dezembro de 2020. Os serviços contam com 10 recipientes de cilindro de aço, em que cada um converte restos humanos. Isso é feito colocando o falecido em uma mistura de lascas de madeira, alfafa e palha para formar um casulo. Micróbios e bactérias benéficas na mistura degradam o corpo ao longo de 30 dias. Quando o processo é concluído, um solo limpo e utilizável é produzido. Depois, é distribuído para a família ou doado para um fundo de terras sem fins lucrativos.

0 comentário