Homens são de Marte e mulheres são de Vênus?

Por Dreyfus Fabrini

Foto: Davi Nascimento

Não, você é mais do que um padrão!


Utilizar tratamentos padronizados para todos os pacientes pode parecer coisa do passado, mas, infelizmente, isso ainda é praticado por alguns profissionais, até mesmo na cirurgia plástica. Apesar de homens e mulheres assumirem certos padrões de comportamento que podem parecer semelhantes dentro do mesmo gênero, são, contudo, pessoas diferentes. E essas diferenças não se encontram apenas no pensamento e nas ações, mas em toda a sua constituição física e psíquica.


Cada pessoa é única, cada corpo possui sua particularidade, que deve sempre ser observada pelo cirurgião plástico na escolha do procedimento mais adequado para cada paciente. Por conseguinte, os tratamentos precisam ser personalizados, e os pacientes, tratados de forma exclusiva, considerando todos os aspectos a eles inerentes.


Nesse ponto, importa destacar que a Medicina caminha avançando e ampliando na diversidade de técnicas cirúrgicas, o que possibilita ao cirurgião plástico a elaboração de estratégias mais individualizadas e eficazes para cada caso.


Um exemplo clássico que comprova o assunto em tela é o procedimento para implante de próteses mamárias. Isso porque existe uma infinidade de técnicas cirúrgicas e de tipos diferentes de próteses que podem gerar diferenças significativas nos resultados da cirurgia, seja de forma imediata, seja após anos de sua realização. Nesse sentido, destaca-se que são possíveis técnicas que permitem arredondar ou projetar a mama ou até criar uma espécie de ‘alça de músculo’, que produz maior sustentação e ajuda a evitar a ptose (queda) precoce dela.


Outrossim, pode-se também citar a rinoplastia, procedimento que exige domínio de diferentes técnicas para viabilizar a individualização do tratamento. Uma mesma técnica cirúrgica não pode ser aplicada a todos os tipos de nariz, afinal não existe um ‘formato’ padrão de nariz que se enquadre em todo modelo de face. Ademais, como o nariz submetido a tratamento cirúrgico pode sofrer algumas modificações com o tempo, cada rinoplastia demanda ajustes nas técnicas, para que sejam produzidas estruturas de sustentação capazes de estabilizar os resultados funcionais e estéticos do nariz ao longo dos anos.


A cirurgia do abdome é outro exemplo. Existem diversas modalidades de abdominoplastia, como a convencional, cuja cicatriz posiciona-se na linha inferior do abdome; a reversa, na qual a cicatriz fica escondida abaixo das mamas; ou, ainda, a miniabdominoplastia, que pode ser realizada com ou sem cicatriz umbilical. Além disso, pode haver associação de técnicas, como a lipoHD, que permite refazer as linhas naturais do abdome, deixando-o mais natural ou até mais atlético, bem como outras técnicas que possibilitam afinar mais a cintura, deixar o umbigo com formato mais anatômico ou com sua cicatriz menos perceptível.


Do mesmo modo, as cirurgias de face e de pálpebras apresentam variadas opções de métodos, cirúrgicos e não cirúrgicos, direcionados a planos mais superficiais e/ou mais profundos. Mas quando se trata da face e das pálpebras, é indispensável se atentar à totalidade dos planos, o que demanda domínio de maior diversidade de técnicas, visando obter resultados mais significativos e duradouros.


Enfim, inúmeros exemplos podem ser elencados para destacar a importância de o cirurgião plástico possuir ampla capacitação. Por dominar uma maior variedade de técnicas cirúrgicas, poderá oferecer maior flexibilidade, bem como versatilidade ao analisar todas as diversidades e variáveis relacionadas ao paciente, e assim escolher a opção mais adequada para cada um.


Portanto, como não existe um padrão, seja para as pessoas ou para as técnicas, um tratamento individualizado e particularizado pode garantir mais chances de sucesso terapêutico.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo