No universo da cirurgia plástica: o que é mito e o que é verdade?

Por Dreyfus Fabrini

Cuidar da aparência não é apenas questão de beleza, mas, sim, de autoestima, de bem-estar e de saúde física e emocional. Por ser uma área da Medicina que alia todos esses aspectos, a cirurgia plástica vem mostrando um crescente avanço no cenário estético.

Ademais, o universo da cirurgia plástica tem despertado cada vez mais interesse, principalmente nos últimos anos, com o advento da disseminação da informação pela internet. Contudo, é importante atentar-se para a veracidade e a qualidade das informações publicadas. Nesse sentido, abordaremos alguns tópicos que suscitam mais dúvidas.


Qualquer pessoa pode ser submetida à cirurgia plástica?

Não. Para ser considerado apto a um procedimento de cirurgia plástica, é necessário que o paciente esteja bem físico e psicologicamente e que seu quadro clínico seja adequadamente avaliado pelo médico responsável. Algumas doenças precisam ser previamente controladas ou até podem ser fator de contraindicação ao procedimento.


Existe um limite máximo de idade para submissão à cirurgia plástica?

Não existe um limite ou idade cronológica certa para a realização de um procedimento estético. Contudo, o paciente deve estar em boas condições de saúde física e mental. Ou seja, é importante que o interesse do paciente pelo procedimento esteja associado à sua saúde, segurança e qualidade de vida.


É possível fazer cirurgia plástica logo após a gestação?

Como o corpo está em fase de readaptação após a gravidez, o ideal é que se aguarde de seis a nove meses após o parto e três meses após a interrupção da amamentação para a submissão às cirurgias plásticas.


Existe estação perfeita para realizar cirurgia plástica?

Qualquer época do ano é propícia à realização de cirurgia plástica, pois os processos de recuperação e cicatrização são os mesmos. Além disso, a época do ano não interfere na qualidade e no tempo de reabilitação. Porém, alguns cuidados pós-operatórios são mais simples de serem realizados em determinadas épocas do ano, como, por exemplo, evitar a exposição solar e usar cinta modeladora, que são mais fáceis durante o inverno.


MITOS SOBRE SILICONE

A prótese de silicone corrige mamas caídas?

O objetivo do implante de silicone é dar mais volume à mama. Quando existe flacidez mamária (ptose), o ideal é fazer mastopexia, procedimento adequado para levantar os seios. Nesses casos, apenas o implante da prótese pode deixar os seios ainda mais caídos.


Cirurgia da mama impede a amamentação ou pode causar câncer?

O implante de prótese de silicone não altera a amamentação e a produção de leite, pois é colocado em planos abaixo da glândula mamária. As cirurgias de mamoplastia redutora e mastopexia também não interferem, desde que seja preservada a disposição de tecidos e ductos mamários. Quanto ao câncer de mama, não existe relação de nenhum dos procedimentos citados, independentemente de implante mamário, com o aumento do risco de desenvolvimento de câncer ou de interferência no diagnóstico e/ou prognóstico da doença.


A prótese de mama deve ser trocada a cada 10 anos?

Os implantes de silicone atuais não necessitam de troca, a não ser que haja complicação, como rupturas ou contraturas capsulares. No entanto, recomenda-se que sejam feitos exames de controle periódicos para o acompanhamento dessas próteses.


Lipoaspiração ajuda a perder peso e eliminar celulite?

Esse procedimento remove o excesso de gordura em determinadas regiões, tendo como objetivo a harmonização do contorno corporal. Como existem limites de segurança para o volume a ser lipoaspirado, bem como pode haver reutilização da gordura para o preenchimento e a modelação de outras áreas, o procedimento não é indicado para emagrecimento e/ou eliminação de celulite.


Áreas lipoaspiradas podem voltar a aumentar de volume?

Células adiposas (gordura), quando retiradas, não voltam a se formar, tendendo a manter o volume da área tratada. Dessa forma, mesmo com um aumento de peso, o contorno corporal não volta ao que era antes do procedimento. Entretanto, outras células permanecem na região e podem aumentar de volume caso haja ganho excessivo de peso.


Exercícios e dieta substituem a Cirurgia Plástica e vice-versa?

Não. Exercícios e dieta podem não ser suficientes em algumas áreas de gorduras localizadas, bem como para a correção de flacidez de pele e de fáscia muscular. Por outro lado, a cirurgia plástica não substitui a necessidade de atividade física e bons hábitos alimentares, os quais são essenciais para se otimizar e manter os resultados alcançados.


A abdominoplastia pode suavizar as estrias?

Apesar de não ser o objetivo da abdominoplastia, o procedimento pode amenizar as estrias, principalmente da região abaixo do umbigo.


O tamanho da cicatriz é definido apenas pela genética?

Além da genética, alguns cuidados são essenciais para uma boa cicatrização da região operada, por isso, é importante seguir as orientações médicas.


O resultado final da cirurgia plástica é imediato?

Não. O processo de cicatrização é concluído em um período de seis meses a um ano. Assim, os novos contornos e formatos da região poderão ser evidenciados com o desaparecimento do inchaço e o amadurecimento da cicatriz.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo