O fenômeno sul-coreano

As batidas cativantes, os dramas emocionantes e a cultura sul-coreana estão invadindo países ao redor do mundo.


Foto: steerpop.com

A onda coreana é chamada de Hallyu, termo criado por jornalistas para descrever a popularização da cultura do país oriental a partir dos anos 90. O que começou discreto tem hoje uma força enorme e já provou que chegou para ficar. Levada adiante, principalmente, internet e pelas mídias sociais, a onda coreana se tornou um fenômeno global. Enquanto antes os produtos eram direcionados principalmente para o público mais jovem, agora estão se tornando cada vez mais populares entre os adultos também.


No coração do Hallyu está um dos fenômenos mais importantes para a onda, o K-pop – termo utilizado para abreviar a música pop coreana.


O estilo ganhou notoriedade global graças à mistura distinta de melodias viciantes, coreografias que exigem muita habilidade e as grandes produções.

Nada disso seria possível sem o esforço dos artistas sul-coreanos, que passam anos em sistemas esgotantes de treinamento aprendendo a cantar e a dançar em perfeita sincronia.


Só K-pop na playlist

A adolescente Nathália Martins Gonçalves, de 14 anos, conheceu o gênero por acaso, mas hoje se considera uma das maiores fãs de vários grupos que estão em alta, entre eles, Blackpink, Stray Kids, Seventeen, Itzy e Golden Child. “Eu estava vendo vídeos no Youtube sobre o jogo Just Dance, até que cheguei em a música das Blackpink, a ‘DDU-DU DDU-DU’. Gostei muito da música, e depois de alguns dias decidi procurar mais sobre elas. Passei a assistir a vários vídeos e conhecer cada detalhe sobre o grupo”, conta.


Nathália passou a consumir as músicas, vídeos e também a se inspirar nas roupas, estilo de vida, além de ter se interessado em aprender coreano. “Hoje, eu conheço muito sobre a Coreia do Sul, porque adoro pesquisar sobre o país. Meu sonho é viajar para lá e, quem sabe, fazer um intercâmbio”, admite a estudante.

Público fiel

Os K-poppers, como são chamados os fãs do gênero, são muito ativos nas redes e procuram sempre se informar sobre as novidades de seus artistas preferidos. No Youtube, dezenas de canais atualizam esse público com notícias e análises aprofundadas sobre as músicas e clipes. Um deles é o canal do jornalista Felipe Caires, que hoje conta com cerca de 130 mil inscritos. “O que começou como um passatempo, hoje eu considero um segundo trabalho. Ele me proporciona uma plataforma para crescer. Se eu tenho uma voz ativa no assunto é porque o meu trabalho me trouxe até aqui”, destaca.

Foto: Arquivo pessoal Fefo Caires

Para o jornalista e youtuber, com o crescimento do gênero, o K-pop passou a ser mais respeitado na indústria musical. “Temos algumas evidências inegáveis, como a indicação do BTS ao Grammy, por exemplo. Ou diversas conquistas que tanto eles quanto outros artistas têm ao redor do mundo. Sinto que a Coreia do Sul trabalhou muito para exportar esse conteúdo, e agora chegou um momento em que não dá mais para ignorar a presença desses artistas. Eles têm músicas e clipes com produções altíssimas e com milhões e milhões de visualizações. Tudo isso leva a Coreia a conseguir exportar, também, a sua cultura de maneira geral. Então, hoje, cresceu a procura por cursos da língua coreana; a culinária tambem é muito pesquisada, sem falar dos filmes e séries”, analisa Felipe.


O comunicador ainda ressalta que os brasileiros acabam ganhando destaque entre os fãs de todo o mundo. Isso porque os artistas encontram no Brasil um público fiel que abraça as ideias e as propostas muito rápido. “Aqui, temos esse coração de mãe, que apoia com muito carinho. Na Coreia do Sul, por exemplo, isso nem sempre acontece. Grupos novos e que surgem de empresas não tão conhecidas por lá têm um caminho bem difícil para ganhar destaque no país de origem. Aqui, é diferente. Se você apresentar um grupo novo para um fã brasileiro, provavelmente ele vai gostar e vai passar a acompanhar tudo o que aqueles artistas fizerem a partir daquele momento, independentemente de fazerem sucesso na Coreia ou não”, frisa.

Doramas

Apesar da óbvia barreira do idioma, muitos jovens e adultos também acompanham, quase que religiosamente, os doramas sul-coreanos. Por aqui, é comum associá-los às novelas, mas a verdade é que eles estão mais próximos do gênero de série, por causa das diferenças técnicas no formato e nos temas. A auxiliar de escritório Laine Vicente Machado, de 22 anos, aponta que gosta do gênero porque ele apresenta uma cultura diferente, além de contar com roteiros e personagens que não fazem parte da realidade daqui.

Foto: Netflix

“São raras as cenas quentes em um dorama. O primeiro beijo do casal protagonista costuma acontecer lá pelo 6º ou 8º episódio, sendo que a maioria deles tem cerca de 16 capítulos apenas. O que faz os doramas serem especiais é que o foco fica muito mais na história que está sendo contada, e a ansiedade e a expectativa por um abraço, um toque de mãos, aumentam ainda mais o desejo de assistir”, completa.


A inclusão de doramas em serviços de streaming como a Netflix, também tem contribuído para que mais pessoas passem a conhecer o gênero. “Cada vez, descobrimos mais pessoas que assistem a esse conteúdo, até mesmo famosos, como Miguel Falabella, que, no ano passado, em uma entrevista para a CNN, comentou que assistia a doramas. Por ser autor, ele pode até mesmo incorporar algumas características dessas produções para as suas próprias, que são feitas aqui para o Brasil. Esses relatos, juntamente com a facilidade no acesso, ajudam muito a espalhar essa onda dos doramas”, observa Laine.

Fãs também se informam pelo Instagram

No caso dos fãs de doramas, além do Youtube, eles contam com vários perfis no Instagram para se atualizarem sobre o assunto. Um deles é o @clubdorameiros, que dispõe de nove administradores que produzem os conteúdos para o perfil. Adlla Samila é uma delas e conta que a equipe se esforça para trazer sempre as novidades sobre o tema. “Eu acredito que muitos brasileiros se interessaram pelos doramas porque eles teletransportam você para outra realidade e tiram o peso do que vivemos. Eles ajudam muitas pessoas a melhorarem da depressão, a aumentarem seu círculo de relações, auxiliam a uma nova formação de caráter e ensinam várias lições de vida”, relata.


Mas nem todos os doramas tratam apenas de assuntos leves ou com cenas mais conservadoras. A produtora de conteúdo conta que existem vários formatos. “Temos uns doramas um pouco mais apimentados e com uma pegada mais adulta, mas não no nível das pegações das novelas brasileiras ou de séries americanas. Todos os dorameiros, inclusive, surtam nesses momentos em que os atores ficam mais próximos, porque é algo raro e desejado. É incrível, porque as histórias são bem desenvolvidas e prendem você até o final. Eles trabalham com personagens impactantes e com enredos viciantes que deixam qualquer um eletrizado até o último episódio”, adiciona.


Outro perfil do Instagram que trata sobre o assunto é o @doramaloverss, administrado por Fabiana Rodrigues. Ela acredita que as diferenças na linguagem do conteúdo acontecem principalmente por questões culturais. “Muitos asiáticos acreditam e zelam muito pelo respeito com sua alma gêmea. Por isso, todo o sentimento é transmitido por pequenos gestos, como um abraço, um beijo na testa, um coração batendo ao tocar nas mãos do seu parceiro, ou simplesmente na vontade de proteger a pessoa amada de longe. Creio que por isso acabamos nos apaixonando não só pelos personagens, mas pelos atores também”, avalia.


MOTIVOS PARA VOCÊ ASSISTIR A UM DORAMA

Foto: freepik.com

Os enredos são únicos e inesperados

É comum que os doramas apresentem reviravoltas criativas e brilhantes. O mistério que se desenvolve entre os capítulos é sempre interessante. Os temas variam e vão de dramas, comédia, fantasia, ficção científica, ação, até suspense. Com certeza, você vai encontrar algum tema que lhe interesse!


O senso de humor está sempre presente

Mesmo que um dorama específico não tenha foco em comédia, o senso de humor está sempre presente. Os atores coreanos com certeza têm um dom relacionado ao carisma. O timing perfeito e as expressões faciais acabam ganhando o público sem muito esforço.


É fácil de maratonar

Como os doramas normalmente têm entre 16 e 20 episódios, cada episódio com média de 30 minutos a uma hora de duração, é fácil maratonar. Pode parecer pouco, mas geralmente a história é bem construída, a trama faz você se envolver rapidamente, e a conclusão acontece sem deixar pontas soltas.


Os cenários são incríveis

As locações e a direção de imagem desempenham um grande fator no sucesso de um dorama. Tudo é sempre muito bem pensado. Os personagens podem não falar uma única palavra, mas o cenário pode passar muito sentimento, complementando o clima da cena perfeitamente.


Os figurinos são impecáveis

Em geral, há algo no modo como os coreanos se vestem que os faz parecer ter saído de uma revista ou um desfile de moda. É comum que doramas de sucesso acabem criando tendências fashion, tanto para mulheres quanto para homens.


Os atores são lindos

Geralmente, só tem gente bonita no elenco. Os coreanos são conhecidos por serem viciados em beleza e terem muito estilo. Por isso, provavelmente você vai acabar se encantando com eles. Afinal, ver dois lindos atores compartilhando momentos agradáveis e, eventualmente, se apaixonando torna a experiência de assistir muito mais agradável.


0 comentário