Oscar define novas regras de diversidade a partir de 2024


Foto: Oscar

A partir de 2024, os candidatos ao Oscar devem atender a padrões específicos de representação e inclusão para se qualificarem para a categoria de Melhor Filme. A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas divulgou os requisitos dizendo que o objetivo deles é "encorajar a representação equitativa dentro e fora das telas para melhor refletir a diversidade do público que vai ao cinema".


Os novos padrões exigem que os filmes preencham uma certa porcentagem de papéis na tela e nos bastidores com pessoas de alguns grupos, incluindo mulheres, negros, pessoas com deficiência e pessoas da comunidade LGTBQ. Os requisitos se enquadram em quatro categorias: representação na tela, liderança criativa e equipe de projeto, acesso à indústria e oportunidades e desenvolvimento de público. A partir de 2024 - para o 96º Oscar - um filme deve atender a dois de quatro padrões para ser indicado.


A Academia havia prometido a introdução de novos padrões depois de enfrentar uma onda de críticas sobre a falta de diversidade entre seus homenageados e na indústria cinematográfica em geral. Em junho, foi anunciada uma iniciativa chamada "Academy Aperture 2025", que inclui uma série de novas políticas destinadas a promover uma organização mais inclusiva e uma comunidade cinematográfica no futuro.


O presidente da Academia, David Rubin, e o CEO da Academia, Dawn Hudson, disseram em uma declaração conjunta que acreditam que os novos critérios de elegibilidade para Melhor Filme ajudarão a trazer "mudanças essenciais e duradouras" na indústria.

0 comentário