Plataformas removem músicas racistas após investigações


Foto: Tanner Boriack

Plataformas de streaming de música como Spotify, Apple Music, Deezer e YouTube Music retiraram várias faixas com conotações racistas, antissemitas e homofóbicas de suas plataformas após uma investigação da BBC.


A publicação britânica descobriu mais de 30 artistas e bandas ligadas a grupos de ódio desses serviços. Algumas das canções também estavam em listas públicas do Spotify sob um gênero ligado ao nazismo.


O Spotify declarou que proíbe qualquer música que expresse ódio e violência, enquanto a Apple Music apontou suas 'fortes diretrizes editoriais' que levam a plataforma a remover tais conteúdos. O YouTube anunciou que não tolera o ódio a seu serviço.


Embora o conteúdo de incitação ao ódio tenha sido removido, não está claro quantos criadores conseguiram contornar essas políticas até então.

0 comentário