Quem é você em 2021?


Foto: Davi Nascimento

Por Vanessa Mendes


Quem é você em 2021? Alguém que sorri mais com os olhos? Alguém que descobriu que as coisas simples da vida são as mais valiosas? Alguém que trocaria tudo por um colo? Alguém que inspira e transforma o mundo das pessoas? Alguém que almeja o fim da pandemia? Alguém que tem muitos motivos para celebrar as oportunidades que a vida lhe deu ou, ainda, alguém que multiplicou sua fé e esperança e está com o coração pulsando de gratidão?


Seja você quem for, aja com boa vontade, gentileza e curiosidade. Receba as boas-vindas do ano em que inteligência e agilidade emocionais são indispensáveis para o equilíbrio da realização pessoal e profissional. Encare as reviravoltas da vida, respeite os sentimentos e as escolhas, lide com desenvoltura, flexibilidade e aceite suas emoções.


Perceba o despercebido, os presentes que a vida oferece e mereça-os, fazendo valer a pena. Já ouviu falar no diálogo entre Charlie Brown e Snoopy? Nele, Charlie afirma: ‘Um dia nós vamos morrer, Snoopy!’, que rebate: ‘Sim, mas todos os outros dias a gente vai viver’. É tão verdade que, de posse de tamanha sabedoria, bem reforça o filósofo Mário Sergio Cortella: ‘Faça com que a vida tenha validade. Quando? Todos os dias em que você não vai morrer’.


“Estimado leitor, a mente humana é uma máquina de fabricar significados. Abra a sua, aceite as mudanças e prospere”.


Que neste ano você possa seguir em frente, com leveza para ‘Viver e não ter a vergonha de ser feliz’, carregando consigo ‘a beleza de ser um eterno aprendiz’... aquela, do nosso saudoso Gonzaguinha. Que não seja o ano em que você mais precise de colo, como ocorreu em 2020, mas que você seja colo para alguém.


Muitas pessoas, como lembrou Marcos Piangers, ‘Sentem que perderam tudo. Mas sempre sobra uma luz, uma energia para começar de novo. Sempre sobra alguém para ajudar a reconstruir o que se foi. A nossa bondade pode ser energia para as pessoas. O nosso carinho pode ser luz para os outros. A maior tecnologia que já inventaram foi o afeto. A coragem de repartir o que a gente tem. O esforço de se levantar e ter esperança’. Vamos, juntos, recomeçar e ser luz?

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo