RISCOS QUE VALEM A PENA

Por Vanessa Mendes

Foto: Davi Nascimento

O gaúcho Rafael Ferri ficou conhecido nas últimas duas décadas por suas opiniões polêmicas, mas também quase sempre acertadas sobre o mercado financeiro. Mesmo antes de começar sua carreira profissional, em 1997, Ferri atuou na função de trader – como são chamados os investidores do mercado financeiro. Dois anos depois, conseguiu o primeiro emprego em um banco. Fez estágio até conquistar uma vaga na área de private banking, na qual atuou até 2006. Buscou aperfeiçoamento e formou-se em administração, cursando, posteriormente, uma especialização em mercado de capitais e também um MBA em finanças.


Entre tentativas e riscos, montou um escritório como agente autônomo, que não deu certo. Até que, em 2011 fundou a Startups BR, negócio para promover e incentivar a inovação, em que atua até hoje como CEO. No mercado financeiro, em 2016, atingiu um dos seus principais recordes: rentabilizou os investimentos em 80.000%, com base em estratégias e conhecimentos de mercado. Na internet, sua atuação expressiva também o tornou conhecido pelas lives de balanços sobre o merca - do financeiro, realizadas semanalmente.


No ‘Café com Ferri’, ele fala sobre as oportunidades da Bolsa de Valores, além de comentar os principais acontecimentos da área. Hoje, é um dos influenciadores do mercado financeiro mais conhecidos do Brasil, com mais de 1 milhão de seguidores só no Instagram. A experiência que teve como investidor e influencer rendeu para Ferri, e outros sócios, a criação de um aplicativo de trocas de experiência, notícias e ensino para investidores da bolsa: o TC, cuja missão é a de ser uma das maiores plataformas de comunicação e educação financeira do mundo. Em São Paulo, ele recebeu a equipe da Vision Business para uma entrevista exclusiva, com sessão de fotos por Davi Nascimento. De papo leve e com humor, Ferri não tem medo de admitir que já perdeu tudo – e várias vezes. Até porque tem orgulho de dizer que, em todas elas, voltou como uma fênix e se reergueu.


‘Rafael Ferri é um dos influenciadores mais polêmicos, arrojados e irônicos do mercado financeiro brasileiro’. Esta descrição, de fato, te representa ou te incomoda?

Não me incomoda de forma alguma, faz parte. Quando nós damos uma opinião sobre algo mais sensível, como o bolso do ser humano, estamos correndo o risco de atrair amor e ódio. Não tem muito como fugir disso. O Brasil está em uma nova leva de investidores. Ganhamos quase três milhões de investidores nos últimos três anos. Então, qualquer um que falar sobre investimentos, principalmente em ações, torna-se polêmico. Uma opinião é apenas uma opinião. Ninguém sabe do futuro. Se é uma opinião contrária ao investimento da pessoa, ela não vai gostar. Se é uma opinião positiva, vai. Portanto, não tem como evitar polêmica nesse sentido.


Você já declarou que ‘Não existe dinheiro fácil, mas o que mais tem são oportunidades por aí’. Ainda concorda com esta citação?

Com certeza. A maneira mais fácil de uma pessoa emergir de classe social, legalmente, é por meio da bolsa. Eu mesmo, depois de quebrar e perder tudo várias vezes, consegui fazer milhões no passado, saindo do cheque especial. Com pouco dinheiro, é possível lucrar muito, e muito rápido. Para isso, é preciso acertar as operações. E é aí que vem a parte difícil. Mas, acertando, é possível mudar de vida muito rápido. A bolsa é simples e fácil, ou seja, é basicamente comprar na baixa e vender na alta. O complicado é saber quando é a baixa e quando é a alta.


Como surgiu o ‘Café com Ferri – balanço das melhores oportunidades’? E por que entregar conteúdo nesse formato, com temas tão complexos, como investimentos e ações?

Eu tinha um blog no ano de 2010, chamado ‘Café com Ferri’, e sempre, entregava um texto de 20 linhas cinco minutos antes de abrir a bolsa. Quando eu comecei a ganhar muita notoriedade no Twitter, que foi onde eu comecei, as pessoas passaram a pedir para eu fazer vídeos. Até que um dia eu fiz um desafio. Coloquei lá: ‘Se esse post chegar a cinco mil likes, eu faço um vídeo’. Bateu a meta, e eu fiz. Foi assim que começou.


Na época do impeachment da presidenta Dilma Rousseff, você investiu R$ 20 mil e acabou conseguindo chegar na marca de R$ 800 mil em apenas 15 dias de operação. Como isso aconteceu? Foi ousado, não?

Foi! Eu fui investindo em opções que são instrumentos ultra-agressivos, em que é possível perder tudo o que se aloca. Porém, se conseguir acertar a operação, de forma efetiva, dá para conseguir um efeito multiplicador muito grande. E foi o que aconteceu nessa operação em que eu acertei. Não foi só essa, claro, foram diversas operações as - sim, que me possibilitaram construir um patrimônio muito robusto. Inclusive, eu ministro um curso sobre opções no qual explico como fiz para ganhar essa grana e ter esse sucesso operando uma coisa tão arriscada.


Foto: Davi Nascimento

Você tem um público de pessoas iniciantes no mercado financeiro, mas também é acompanhado por uma parcela que já é aficionada em tudo que se relaciona ao assunto. Você se considera um bom influencer?

Acredito que sim. Talvez eu seja um dos melhores do mercado financeiro, porque efetivamente fiz um patrimônio, que seria considerado relevante em qualquer lugar do mundo, 100% vindo de atividades relacionadas ao mercado de ações - hoje com meus cursos. Muitas pessoas que falam sobre investir em ações nunca ganharam dinheiro com ações no Brasil. Eu ganhei. Então, acre - dito que não adianta uma pessoa dar um curso sobre como ganhar dinheiro na bolsa se ela própria nunca ganhou. E vemos muito isso, hoje em dia, por aí. Claro que, quando damos opinião sobre o mercado a partir das nossas percepções e experiências passadas, existe a chance de errar ou acertar. Não dá para prever o futuro. O objetivo é sempre acertar. Por isso, acredito que tenho um histórico de vencedor que me credenciou e me dá a possibilidade de opinar.


Por que o mercado financeiro é tão sedutor?

Porque pode mudar a vida de uma pessoa. É possível mudar de patamar rapidamente. Claro que a pessoa pode perder tudo também, mas a possibilidade de ganhar dinheiro e ajudar toda a família é muito sedutora. Muita gente, ao olhar de fora, acaba tendo uma visão equivocada de que esse mercado tem muito de gambling, de jogo de azar. E isso não é verdade. Muito pelo contrário, recentemente a Marfrig comprou quase 31% das ações da BRF no mercado. Se uma pessoa tivesse acertado essa operação e comprado um derivativo, com R$ 20 mil seria possível chegar a R$ 20 milhões. Tem que acertar o tempo da operação. Mas tenho que lembrar, aqui, que se a pessoa tem a intenção de investir a longo prazo, também é possível chegar a resultados bons. É o que mais de 95% dos investidores fazem. Compram de boas empresas, que vão crescer ao longo do tempo, e o teu patrimônio vai multiplicando junto, te fazendo mudar de vida.


Você poderá conferir a entrevista completa em nossa edição digital.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo