Transplante capilar


Foto: Arquivo Pessoal Dreyfus Fabrini

Por Dreyfus Fabrini


A alopecia ou calvície é a perda de cabelo ou pelo em uma parte do corpo, comumente a cabeça. Essa queda ocorre, principalmente, por fatores hereditários. Porém, pode ser provocada também por diversas causas genéticas e/ou ambientais, bem como decorrer da manifestação de algum tipo de doença. Apesar de ser mais frequente em homens, pode acometer ambos os sexos.


Para a calvície, existem várias modalidades de tratamento. Contudo, o mais efetivo deles é o transplante capilar, procedimento cirúrgico que consiste na retirada de fios de cabelo de uma área doadora para serem realocados em regiões de calvície ou de ausência de pelos.

Diferentes métodos para a coleta dos fios são propostos: como o FUE (sigla em inglês para extração de unidades foliculares), o FUT (transplante de unidades foliculares) e a técnica híbrida, que é a associação das duas anteriores.


Registra-se que, de forma similar, nas três opções apresentadas os fios são geralmente retirados da região posterior ou lateral da cabeça, locais onde são geneticamente mais fortes e resistentes à queda, e inseridos, fio a fio, na área calva, por meio de pequenas incisões que não resultam em cicatrizes. O que diferencia, no entanto, essas técnicas é basicamente a forma de captação dos fios. Na FUT, extrai-se uma faixa de couro cabeludo que será fragmentada em unidades ou grupamentos foliculares, enquanto na FUE os fios são retirados individualmente, com a utilização de modernos aparelhos motorizados. Diante disso, no primeiro procedimento citado é produzida uma cicatriz linear na área doadora, o que não ocorre na segunda técnica, que causa apenas micro cicatrizes.


VERSATILIDADE

O transplante é um instrumento versátil, que pode ser empregado também em áreas como barba, sobrancelhas e cicatrizes corporais, como as decorrentes de lábio leporino. O transplante de barba é solução tanto para a ausência de barba quanto para quem apresenta apenas falhas, além de ser uma excelente ferramenta para camuflar irregularidades e criar inúmeras opções de mudança no visual.


Os objetivos almejados com a terapêutica vão desde preenchimento, cobertura de uma área limitada até o pleno restabelecimento de um cavanhaque o de toda a barba. Assim como ocorre no transplante capilar, uma vez transplantados na barba, os pelos são permanentes, crescem com textura semelhante e podem ser normalmente raspados, cortados e estilizados.


Porém, são extremamente minuciosos, técnicos e envolvem muitos detalhes, motivo pelo qual devem ser realizados por especialistas experientes. A importância do profissional se torna um aspecto ainda mais relevante pelo fato de a naturalidade do resultado depender significativamente da forma como os fios são implantados.


Foto: Adobe Stock

O PROCEDIMENTO

Todo o procedimento é feito com anestesia local, associada a uma leve sedação, e dura entre cinco e sete horas, podendo variar de acordo com a técnica escolhida e a área a ser tratada. A recuperação é rápida e, geralmente, indolor.


Os pacientes recebem alta no mesmo dia e, usualmente, voltam rapidamente às suas atividades normais. Entretanto, as primeiras horas exigem cuidado, visto que uma batida ou atrito pode causar a remoção dos fios. O resultado é muito satisfatório, definitivo e natural, mas sua visualização pode ser lenta, podendo demorar cerca de um ano a um ano e meio para se completar.


Enfim, como o cabelo e a barba são atributos estéticos historicamente ligados à construção da identidade humana, é fundamental o reconhecimento da importância do transplante capilar na estética, na satisfação e na autoestima do paciente.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo